Fanfic Faces - Capítulo 18

Título: Faces
Baseado: em InuYasha (anime)
Capítulo 18

 Golpe final
Ele tinha Rin em suas mãos enfraquecida e quase inconsciente. Suas garras estavam quase perfurando a carne de seu peito. Ele parou ao olhá-la tão frágil e prestes a ser destruída por suas próprias mãos. A mão que segurava aquele golpe pelos punhos não tinha tanta força mais, apenas o toque dela. Mesmo quase fechando os olhos, ela incidia aquele olhar implorando misericórdia para com ele, como se perguntasse o porquê de tantas coisas e principalmente por ter chegado a esse ponto. Os lábios se moviam lentamente e pareciam sussurrar alguma coisa. Precisou fazer um grande esforço para ouvi-la.
– Por que fazes isso comigo, senhor Sesshoumaru? Acaso não lhe agradei? – sua voz estava fraca e quase inaudível.
Ele a olhava. Sabia exatamente o que fazer. Agora sabia exatamente onde estava sua pequenina outra vez. Sentiu-se aliviado por dentro, mas jamais deixaria transparecer aquele sentimento. Não agora.
– Vai mesmo me matar, senhor? Eu o amo tanto. – implorava com os olhos cheios de água.
– Não é óbvio? Insignificante. E eu ainda matarei com satisfação. – seu olhar demonstrava uma fúria eminente.
Terminou de perfurar o peito dela, transpassando as garras até sair pelo outro lado de suas costas. O sangue jorrou abruptamente ao redor e um grito alarmante soou ecoando pela floresta.
***
Rin abriu os olhos lentamente por causa do impacto da luz. Ouvia vozes e via dois vultos a sua frente. Logo percebeu a cena que via. Era seu senhor com ela mesma em seus braços, como se fosse a matar. “Seria um pesadelo?”, pensou desesperada. Fez uma força para ouvir, mas era quase impossível.
– Vai mesmo me matar...? Eu o amo... – conseguiu ouvir com dificuldade
– Não é óbvio? Insignificante. E eu ainda matarei com satisfação.
O olhar de seu senhor a arrepiou dos pés da cabeça. Seu coração apertou quando sua imagem recebeu o golpe dado por ele, como se fosse com ela própria. Ele a matou? Ele a mataria? Gritou. Neste momento, o olhar de Sesshoumaru se voltou para ela. Desesperada, virou-se e correu pela floresta desejando que de alguma forma pudesse despertar daquele terrível pesadelo de alguma maneira. Mas isso não aconteceu, não era um pesadelo. Era mais real do que gostaria.
***
Ele viu-a assustada ao presenciar aquela cena e correndo adentrando pela floresta. Jogou fora o corpo preso em suas mãos que lentamente se desfragmentou na imagem original e inicial de seu oponente. Ele involuntariamente correu atrás dela. Ela jamais entenderia se ele mesmo não lhe dissesse.

(Continua na Próxima Sexta Feira)
Capítulos Finais
Capítulos Anteriores Clique Aqui
____________________________
Esplendor
"Fantásticos momentos que juntos passamos, 
Plenos de promessas que juntos juramos, 
Ricos de ternura, prazer e emoção... 
 Suspiros intensos, olhares calientes,
 Afagos, abraços e beijos, ardentes,
 Momentos dourados como o sol de verão. 
 A brisa que sopra ao entardecer 
Que aos outros um pouco de frio vem trazer, 
Em nós reacende o desejo, o fervor...
 Não existe clima que apague essa chama
 Que a nós incendeia, acende, inflama,
 Pois nosso amor é puro esplendor!"
____________________________

Comentários

  1. Hello Felizberto Good to see you again .. It's Thursday today, so I would like to wish you a nice weekend now .. Hugs and kisses Night Lady

    ResponderExcluir
  2. Felis " Esplendor "

    Que lindo mantener la llama viva del amor.

    ¡¡¡ muy romàntico !!!

    En los anteriores no he podido entrar por eso mi falta de comunicaciòn

    un beso

    ResponderExcluir
  3. Hello to You.
    Thank you for writing a few lines on my blog.
    I will be away from blogging until the end of July, but I take the opportunity to wish you some pleasant weeks.
    Hugs from Sweden.

    ResponderExcluir
  4. Terei que esperar até sexta que vem pra ler o resto. Gostei do poema "Esplendor". abraço.

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito de Esplendor. Tenha um lindo final de semana.

    ResponderExcluir
  6. Tadinha dela....essa historia está ótima. Gostei do poema, muito lindo.

    ResponderExcluir
  7. Faces, por onde as lágrimas correr
    Dos olhos caídas, quando chorar
    Na terra ressequidas vão permanecer
    Plantas florir, que as lágrimas regar?

    Desesperada pela floresta a correr
    Sem saber exactamente para onde caminhar
    Lentamente parecia algo querer dizer
    Sussurrando as palavras lhe faltar?

    Boa sexta-feira,
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  8. Ola meu querido!

    Gostei muito e vou esperar ansiosa para ler os capitilos finais!

    Fantastico esplendor!

    Bom fim de semana!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Salvei teu banner em meu blog e em meu coração...heheheeeee...queres ver????É só procurar,a direita...
    Diz que eu sou mais querida do que tu já achavas...diz?????

    ResponderExcluir
  10. Olá querido amigo,
    Belo poema, intenso, cheio de amor e paixão!
    Como sempre, gostei muito!

    Beijos e muita luz!

    ResponderExcluir

Postar um comentário