Dezembro.31

Dezembro.31 
O ano vai terminando. 
Foi um ano verdadeiramente terrível para Juninho. 
Desemprego, sepa­ra­ção abso­luta , foi demitido pela empresa. 
Namoro, sepa­ra­ção abso­luta e defi­ni­tiva, foi traído pela namorada. 
Olhou em volta, errou tudo, bateu o carro. 
Eu decepciono, você decepciona, eles decepcionam. 
E assim a vida seguia, um pouco decepcionante para Juninho. 

De alguma forma, algo de bom sempre acontece antes de chegarmos no pior ponto.
Mesmo morando em uma cidade praiana, do Sudeste, resolveu passar a virada do ano  nas praias, do Nordeste. 
Com o dinheiro da demissão comprou passagens, ida e volta de avião , e lá, resolveria onde  ficar.

Arrumou as malas, ajeitou tudo de forma organizada, beijou as fotos de seus familiares, fechou totalmente e ouviu da mala: 
-Miau! Miau?
Retirou o gato de dentro da mala , fechou novamente e rumou para o aeroporto. 

Depois de muito estresse por causa do aeroporto lotado,conseguiu embarcar no avião e teve muitas dificuldades para se sentar. 
O único lugar que conseguiu foi na fileira do meio. 
Na janela, estava um rapaz, com as pernas que transbordava os limites da poltrona.. 
Do outro, o que falou sorridente: 
– Sinto muito, mas você foi escolhido para sofrer esse aperto junto comigo, nas próximas horas. 

Durante a viagem, com muita turbulência, ouviu uma voz sensual. 
-Senhor! O que o senhor deseja? 
Mesmo no escuro, sua luz de bordo não funcionava, vislumbrou a aeromoça, loira, olhos verdes, que  lhe perguntava: 
- O senhor deseja? Água ou café? 
- Eu desejo vo...! Rapidamente retificou, gaguejando- E...eu de... de...sejo q...que vo...você me dê água! 

Após o desembarque, uma longa espera das bagagens. 
E nada da sua mala aparecer na esteira rolante. 
-Não é possível que uma companhia de aviação, desse porte , consiga extraviar minhas malas- dizia para a atendente. 
-Sinto muito senhor! Suas malas foram parar em Paris! Daqui a dois dias, o senhor poderá vir retirá-las -disse a atendente. 
E Juninho, nervoso, mas conformado, porque pelo menos suas malas foram fazer sua viagem dos sonhos, pensou: 
-Ainda bem que meu dinheiro está na minha bagagem de mã...que estes, acabaram de levar -Pega ladrão!Pega...-gritava desesperado...correndo atrás. 

Esbaforido e desolado, sentou naquele banco e com cara de poucos amigos, viu o desembarque da tripulação do seu voo. 
E junto com o Comandante, lá estava ela. 
Amanda, a aeromoça de voz sensual, olhos verdes, que se aproximou e disse: 
-Que foi meu senhor? Esta tristeza no último dia do ano? 
Muitos homens tentam passar uma imagem máscula e se privam de cair no choro e Juninho , chorando muito, contou tudo que lhe tinha acontecido, e mais um pouco, que deixou Amanda muito emocionada e sensibilizada. 
-Olha! Se quiser ficar em casa até suas malas chegarem! Moro sozinha. Muitas viagens e pouco tempo de permanência nos lugares. - disse Amanda 
E lá foram os dois para a casa de Amanda. 

Faltavam poucos minutos para acabar o ano. 
E Juninho começou a contagem regressiva para  o ano se encerrar: 
-10, 9, 8, 7...
E na cama, com Amanda, continuou: 6, 5, 4... para... 

☋ 
"Talvez, ao me ouvir falar em felicidade, você se pergunte se eu não tenho problemas, se tudo dá sempre certo para mim, se nunca passei por uma grande dificuldade que me tenha deixado marcas, a resposta é claro que sim, superei e estou aqui." 
Luís Alves, Personal Coach.
Imagem:Google
26 à  28/Outubro/2013

Comentários

  1. Meu poeta lindo ainda bem que esse AZAR virou SONHO lindo né não. tadinho do Juninho perdeu td...mas foi bem recompensado..Massss tem muitos Juninhos por ai que acaba bem mal.....até achei engraçado.... depois fiquei com dó dele......tenha uma bela noite com bons sonhos!!!!



    O saber a gente aprende com os mestres e os livros.
    A sabedoria, se aprende é com a vida e com os humildes.

    _______Cora Coralina


    . (.") .
    . /█\..└──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  2. Esta janela por onde se infiltra um raio de luz faz toda diferença em meio aos tons nublados dos acontecimentos frustrantes.

    A esperança merece ser vivenciada.
    Um abraço e um colorido fim de semana, Felis.
    Calu

    ResponderExcluir
  3. Felis, ainda bem que no final saiu a contento, nem tudo fica perdido quando achamos que estamos perdidos, pois é, viagem de avião, ah, sei muito bem como é isso!
    Gostei de ler, muito bom o final, rs!
    Abraços, tenhas um lindo fim de semana, igual a do Juninho será meio difícil, mas... Quem sabe?!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde meu menino grande !
    No desabrochar das palavras o texto vira uma linda reflexão,com sua sensualidade ...vamos nos tirando a pantalona ...
    bjs de final de semana com minha nova matéria no blog :

    reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Um ano terrível para Juninho.
    Dezembro.31, vai terminar
    Desemprego, separação, coitadinho
    Tem que emprego e namorada procurar.

    de uma só vez, tanta coisa ruim,
    Que mais lhe irá acontecer
    Pesadelos sem fim
    Que muito fazem sofrer!

    Boa tarde e bom fim de semana
    para você, amigo Felisberto Júnior,
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  6. Olá, amgio Felis
    Ri tanto que vc nem imagina... kkk
    Foi escrito com um senso de humor incrível... me pareceu de nordestino que sofre e ainda ri depois de tudo... (meu pai era pernambucano e herdei isso dele também)...
    Mas o final ficou na incógnita...
    Quem sabe o próximo ano vai ser melhor pro Juninho com a moça que lhe apareceu do 'nada'?? rs...
    Bjs fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  7. Olá amigo querido.
    Lendo seu conto me vi em algumas partes, quem não passa por algum destes problemas, eu quase todos, não todos de uma vez é claro. Gostei muito da atitude do Juninho, ele se ariscou e teve um fim merecido... Um feliz ano novo...
    Parabéns pelo conto, gostei muito mesmo e até me animou.
    Estava com saudades em estar por aqui.
    Beijinhos e um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  8. Precioso texto Junior, te deseo una hermosa noche.
    Abrazos miles!

    ResponderExcluir
  9. Momentos de desencontros, de obstáculos possuem uma estratégia particular de refazer nossas forças para prosseguirmos. A cada anoitecer sempre há um amanhecer, lindo, belo, abençoado por Deus e pelo Sol - energias vitais.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Olá Felis, torcendo para Junior tenha bom ano depois do encontro com a moça.
    Parabéns pelo conto meu amigo
    Beijos, bom domingo e ótima semana

    ResponderExcluir
  11. Passando para desejar um super domingo mesmo com calor tenha um lindo dia meu poeta lindo....

    Abraços com carinho sempre

    Bjussss

    . (.") .
    . /█\..└──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  12. Tadinho que sofrimento afff...mas olha só no final se deu muito bem rs.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Felis, como vai? O título chamou minha atenção porque estou um pouco receosa em relação ao final de ano... gostaria de ter alguns sonhos (e companhias) consolidados mas não sei se isso será possível, então não sei como estarei...
    O que adorei em seu texto foi perceber que a vida muitas vezes é assim, o que parece perdido e acabado mostra-se na verdade como um grande presente. Tenho buscado pensar assim, que o que acontece hoje pode não fazer sentido mas em algum momento justifica-se como o melhor pra mim. Haja fé! Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde amigo Felis!!!
    E já ri muito com o gato na mala...e fiquei triste com tanta má sorte, que ao final se transformou no bilhete premiado da loteria. (risos)
    Ufa, finalmente Juninho se deu bem!!!
    Feliz e Abençoada Semana!!!
    Abraços...da Bia!!!

    ResponderExcluir
  15. Às vezes a vida vira, parece que está toda errada... E então acontecem coisas inesperadas e muito boas..

    ResponderExcluir

  16. Olá Felisberto,

    Ri demais deste Juninho 'azarão'-rs.
    Ainda bem que lhe restou um final feliz na virada do ano-rs.
    Esta da mala fazer a viagem dos sonhos dele foi ótima. E se o gato não mia também iria para Paris.rs
    Adorei. Muito divertido.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário