Os escritos surrados

(...) eu escrevo poesias. 
Eu aprendi a  escrever  quando era jovem. 
Dramaticamente  jovem. Intensamente jovem.  
Eu escrevia  no papel.
 Colocava em  um envelope cheiroso. 
Doces, adoráveis, românticos . 
Nem sempre sabia o que  escrever e no entanto,  tentava, e tentava, e mais tentava.
Alguns fracassos, é certo,  mas nunca houve uma desistência. 
Escrevia aquelas  palavras que tinha  tanto de mim que, quando  terminava, percebia que depois nunca mais seria a mesma pessoa. 
 Acontecia uma identificação tão grande que as palavras mexiam em algo tão pessoal que, se eu abrir a boca para falar sobre eles, estarei falando sobre... e para ... você!

Os escritos surrados , meus velhos companheiros...

    Imagem:Google

Comentários

Descer Página
  1. Depois de tanto uso, depois de se ter perdido o jeito de timidez, acabaram as cartas surradas, dando lugar agora, aos Skypes e a outro bates papos, que a era da globalização nos trouxe. Ainda guarda algumas correspondências dessa, mais por serem documentas, respeitantes a colecionadores de documentos dos correios, ou postais ilustrados. Na mesma onda, não romanesca, possuo variada documentação do Brasil.
    Falando diretamente, no post, o mesmo tem bem expresso o sentimento da seriedade, bom de sentir.
    Obrigado pelas visitas.
    Abraços de fraternidade e amizade

    ResponderExcluir
  2. Primeiro blogue que visito após meu "retorno" do "a volta do que não foi", ahahah"
    A sério, quando tive contato com você e recordei deste espaço, tive um deja vu praticamente irresistível e cá estou, com entusiasmo para voltar a fazer uma das coisas que há de mais gratificantes na vida: Escrever!
    Eu me identifiquei pra cacete com este texto (retirando o fator "poesias", logicamente), também comecei a escrever muito cedo, criava contos usando meus colegas de escola como personagens. Eles eram minhas principais inspirações. rs.
    Talvez por este motivo, até hoje, eu escreva muito mais literatura realista do que fantástica, pois meu alicerce foi calcado na realidade.
    Achei bem original o cuidado que tinha com seus escritos, de colocá-los em envelopes e coisa e tal. Eu não era muito organizado (ainda não sou) e não me orgulho disto. Gostaria de conseguir catalogar, organizar melhor meus escritos.
    Parceiro, fracassos sempre há neste universo literário, contudo, a desistência acabo por perceber que não.
    Esta sensação de ao materializar as palavras que estão em nossas mentes nos tornamos outras pessoas é, em meu conceito, uma das características de um escritor nato. E outra característica também muito profunda é a de estar falando sobre si e isto acabar se expandindo, quando se dá conta, não está falando sobre si e sim, sobre outras tantas pessoas.
    Meu comentário até então pode ter parecido egoísta com tantas comparações que fiz.
    É que seu texto acabou sendo sobre mim...

    ResponderExcluir
  3. Podem hoje estarem surrados no suporte, porém permanecem vívidos e brilhantes em cada traço, em cada sentimento declarado nos versos, na sensibilidade desenhada pelo dom que se estende, agiganta e encanta a todos e todas que te leem, amigo poeta.
    Dê-lhes carinho e transforme-os num livro amoroso;)
    Bjos e um bom dia, Felis.
    Calu

    ResponderExcluir
  4. Olá, Felisberto. Sabe, eu também escrevia em cadernos. Como você.
    Só que eu tinha vergonha, e escondia. Custou eu mostrar a alguém, e foi a uma professora da quinta série, a Dona Arinete. Ela gostou, e me ajudou.
    Não fosse por ela, talvez eu hoje não escrevesse...
    Um lindo final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Escritos surrados. Papéis e envelopes cheirosos. Amores revelados. Nossa como isso era bom! Hoje, na tecnologia com 'quilobytes' tão velozes.. nossos escritos saem do teclado e invadem telas alheias... Mas, isso tudo vem do alicerce de estímulos recebidos na adolescência.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. QUERIDO
    Vc é ainda muito jovem parabéns por tudo que vc escreve lindo.Neste momento estou precisando de colo.Amigo desculpa a demora em te fazer uma visita. Andei viajando. Mais estou passando por um momento triste perdi uma amiga que considerava como mãe. A vida ficou tão sem graça. O mundo ficou sem sentindo para mim.
    UM BJ
    ANA

    ResponderExcluir
  7. Boa noite amigo Felis!!!
    Lá no blog, tenho até um link: Meus textos. Tem horas que quero escrever mais, mas tenho vergonha, medo de errar, tipo o que você disse aqui...sabe vou pensar em escrever mais...se não estiver bom...paciência, apenas sentindo-me bem é o que importa.
    Sucesso sempre!!!
    Feliz e Abençoada Noite!!!
    Abraços da Bia!!!

    ResponderExcluir
  8. Boa noite amigo, Felis!
    Nunca fui boa em escrever, apesar de ser formada em pedagogia, sempre
    fui péssima p/ escrever textos, ainda bem que o meu filho não saiu igual a mim, rssrs.
    Você nasceu com esse dom, por isso escreve muito bem, adoro seus textos poéticos
    viajo em cada um deles, rsrs.

    Um grande beijo!
    Bom fds!

    ResponderExcluir
  9. Muuuito bom Felis!
    Acho que vou garimpar este texto.

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  10. Conservar ese material es fantástico, yo en realidad comencé a escribir hace unos pocos años y todo está está guardado en forma muy moderna.
    Preciosa entrada Junior!
    Que tengas un hermoso fin de semana!
    Besos.

    http://sombriabelleza.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Felis
    São seus escritos surrados que adoro ler.
    Boa noite.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia meu poeta lindo..........

    Acho que a melhor coisa é escrever o que
    sentimos, mesmo que fiquem guardados na gaveta
    é uma forma de desabafar, ou botar pra fora o que temos
    de bom dentro de nós...olha gostei desse escrito
    Bom como todos outros que vc tem...

    Bom final de semana
    Abraços de sempre


    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  13. Gostei do nome que lhe deste, "escritos surrados".
    Identifiquei-me muito com este texto.
    Tenho uma grande quantidade de cadernos, aos quais também posso chamar de "escritos surrados".
    Um dia chamei-lhe "Sussurros"....
    Espero que tenhas um ótimo fim de semana.
    Deixo um beijo.

    Sónia

    ResponderExcluir
  14. Bom dia, Junior. Creio que quem gosta de escrever, escreve em qualquer papel que encontrar, sem pensar se é certo ou errado, rebuscado ou não, apenas coloca-se o pensamento e sentimento, em linhas que expressam o momento ou uma situação.
    Eu adorava qualquer papel para colocar dar forma ao pensamento expresso e livre.
    Uma vez, eu participei de um concurso, na extinta rádio Cidade FM, sem sequer saber que hoje estaria aqui, foi ótimo.
    Creio que o dom da escrita nem sempre percebemos em nós, mais fácil é o outro sentir isso.
    Que bom que colocamos nossos sentimentos para fora de nós, algo que é tão nosso, que ao mesmo tempo acreditamos que terá uma identificação com as outras pessoas.
    Quando escrevo penso em determinadas pessoas, é algo tão natural, que é como se fosse um chamado, que a pessoa entenderia para ela, enfim, escrever é libertário.
    Continue sempre nesse caminho!
    Beijos na alma e paz!
    Lindo fim de semana!

    ResponderExcluir

  15. Olá, amigo Felis
    Desde cedo escrevia muito... quando, num belo dia, alguém me fez acabar com tudo de mais puro que já escrevi...
    Hoje sinto mas não se pode voltar atrás do que não existe mais...
    O dom está em nós e é imperioso... ninguém via destruí-lo assim para sempre...
    Persevere nos seus escritos e não deixe ninguém detonar o seu dom...
    Bjs fraternos

    ResponderExcluir
  16. A VECES NUESTRA INSPIRACIÓN SE DESORDENA.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  17. Felis, tudo bem?

    Eu, bem antes, por morar numa cidade pequena, e como tu deve saber, lá as pessoas se envolve muito em politica, então eu escrevia as falas dos políticos, claro que de forma avessa as necessidades do povo já q essa é ainda hoje a realidade dos políticos.

    Só que hoje perdi todos os meus arquivos surrados rs!

    Felis, linda tarde de sol e praia pra ti!

    Bjos meu lindo poeta!

    ResponderExcluir
  18. UM FINAL DE SEMANA
    NA PAZ E NA LUZ DE JESUS.
    VAMOS LUTAR POR UM MUNDO
    MELHOR NEM QUE SEJA EU E VOCÊ.
    QUERO QUE SAIBA VOCÊ FOI
    E É IMPORTANTE DEMAIS PARA MIM.
    CARINHOSAMENTE ,EVANIR.

    ResponderExcluir
  19. A escrita é uma questão de prática e de se colocar no papel aquilo que sentimos, porém se me permite Felisberto você tem um talento de escrever que as vezes quando eu leio foram escritas pra mim.
    Bj

    ResponderExcluir
  20. Felisberto , você começou cedo a fazer da palavra o instrumento que o faz servir de amparo e alegria aos amigos que dela conhecem . Parabéns , meu amigo . Bom final de sábado e ótimo domingo . Beijos

    ResponderExcluir
  21. Meu querido Felis, o importante mesmo é escrever
    independente do que seja. Escrever é bom é terapia.

    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Passando para desejar um dia feliz
    Bom almoço
    Boa tarde
    E uma noite cheinha de luz meu poeta lindo

    Desejo um bom domingo

    Abraços de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  23. Olá, amigo. Quero desejar um lindo domingo e semana! Obrigada pelo carinho sempre presente no blog. Ando um pouco ausente por motivo de saúde! Bjosssssss.

    ResponderExcluir
  24. Oiii!! Ainda tenho alguns escritos surrados :) Como é bom lê-los e perceber como fomos e como ainda temos algo deles.
    Tenha lindos dias. Bjss

    ResponderExcluir
  25. Oi, Felis, como vai?
    Cada pessoa tem seu jeito de colocar pensamentos e sentimentos pra fora, e o seu, fica claro aqui, sempre foi escrevendo.
    Eu sempre gostei de ouvir música e escrever poemas e cartas, tinha até uma coleção imensa de papeis de carta, hahaha, e usava de verdade. Em revistas chamadas "Carinho" pessoas colocavam anúncios para trocar correspondências, por amizade mesmo, quantas cartas troquei assim, não havia tanto perigo de se expôr a desconhecidos...
    O importante é não desistir, nem do que pode nos fazer feliz, nem dos nossos sonhos.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  26. Oi amigo Felisberto, desistir não é a solução, por isso continuar tentando mesmo que seja difícil e aí está! Escrever não é diferente e quando continuamos tentando, vemos que gostamos de escrever. Os escritos surrados são a prova que continuamos tentando! Gostei muito do post, gosto de como você escreve, parabéns pelo blog, inclusive, desejo muito sucesso, viu? Aliás, azul é uma cor maravilhosa também.
    Abraços e uma ótima tarde de domingo e ótima semana amigo!

    ResponderExcluir
  27. Olá querido Felis,

    Creio que o que um poeta escreve serve tanto para ele próprio como para a maioria das pessoas que o leem.
    Fiquei imaginando aqueles escritores escrevendo e logo a seguir fazendo bolas de papel com seus escritos e jogando-os no lixo. E tudo de novo e de novo até engrenarem-rsrs.
    Acredito que quem tem o dom da escrita em prosa ou verso manifesta-o desde cedo, pois sente necessidade de extravasar suas inspirações, colocando-as no papel.
    Deve ser interessante rever os 'escritos surrados' e poder observar as mudanças no estilo e na maneira de pensar e abordar os temas.
    Guarde com carinho todos os seus 'escritos surrados'. Relê-los, um dia, será gratificante.

    Beijo e feliz restinho de domingo.

    ResponderExcluir
  28. Escrever não deixa de ser uma gostosa e barata terapia. Ótima postagem, Felis. Abçss e boa semana.

    ResponderExcluir
  29. Duas vezes "entrega"!
    Belíssima declaração.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Subir Página