Crônica de um velho Feliz (s)

São quase 21 horas e eu aqui em frente ao computador, olhando, revirando, Ctrl, Shift, Caps LocSACO, ái meu dedo, barra de       espaço e nada.

E é impressionante como meu celular só toca na hora errada. Estava tendo aquela inspiração boa para a postagem de amanhã do Blog e o bendito toca.
 Nossa, que susto!
 Preciso , também, trocar essa musica chata e estridente.

- Você ainda está aí ? Esqueceu do jantar com o cliente às 22 horas? Vem logo!
É lógico que ainda estou aqui!  

Esqueci completamente do jantar e não só isso, estou sem dinheiro.
Ainda bem que hoje tudo funciona 24 horas, o  banco, super mercado, menos a inspiração para o Blog.
 Vai ter que ficar para depois!

Fui até o Banco 24 horas, saquei o dinheiro e fui até o ponto de táxi. 
Antes fiz  vários  telefonemas para saber o local exato do jantar. Isso quando conseguia completar  a ligação.

Quase 22 horas e quando estava dentro do táxi, fiquei observando  as pessoas e de  como a vida estava muito corrida.
Um ritmo acelerado. Parece que o dia tem mais de 24 horas.
 Pouco menos de 30 anos atrás,  tudo fechava as 18 horas. 
Hoje  tudo fica aberto 24 horas. 
Menos o semáforo com o taxímetro rodando na bandeira 2.

Tenho saudades desse tempo. 
E o celular toca de novo:
- Está chegando? Está onde?

 Já na  entrada do restaurante  observo   um " novo rico" jantando. 
Sabe aquela pessoa  que foi pobre a vida toda, agora anda de terno com a manga do paletó menor que o da camisa, carro com cor chama atenção, vidros escuros, dente de ouro, acompanhado de mulher turbinada fazendo pose de soslaio, aliás, uma não, duas, e chamando o garçom de inferior? Pedindo para servir churrasco e "chopps" ? 
Esse mesmo. Depois, ainda foram tirar foto na porta do restaurante, fazendo pose de  O Dono do Mundo.
E não demorei para encontrar o cliente. 
Estava logo atrás. Ou logo na frente. Logo atrás... o novo rico não cansava  de andar dentro do restaurante,  mostrando seu novo relógio de ouro.

E a conversa com meu cliente foi muito  papo vem, comida vai. E nada de novo trabalho e nova entrada de dinheiro para mim.

Depois de conversarmos até altas horas, fui  embora de carona com ele.
 Me deixou na porta de casa  e me deu um presente: " O pecado me atrai, o que é proibido me fascina!, Clarice Lispector."

Folheando o livro, encontro a  esperada inspiração para meu Blog: O novo feliz.

Sabe do " novo rico"? Pior que ele, só, o "novo feliz"!

O "novo feliz" é o cara que foi Infeliz a vida toda. 
Não chega de carro novo chama atenção, mas chega com aquele novo sorriso, mostrando todos os dentes, e tal como o "novo rico", chega, chegando, mostrando que agora está podendo... 
-" Sabe da última de japonês? kkkkk...não deu para escrever no......kkkk, Pindamonhangaba,kkkkkkkk, escreveu Pinda,kkkkkkk.", e o maxilar dele até fica envergando de tanto rir . 
O "novo feliz" é o famoso puxa-pista, logo ele, que por ter sido muito infeliz, nem gostava de sair para as baladas. Aliás, no seu tempo de infeliz, era Discoteca. 
" Vamo aê, vamo cara. Vamo quebrar tudo, meu. Solte esse corpo".
 Esquece que seus amigos já não estão mais na idade de  se "acabar" nas baladas.
E o "novo feliz", também, como os "novos ricos", não está acostumado em lidar com a nova situação. Esbanjam alegria, contam piadas até em velório, só falam em ser feliz. Nunca estão apressados, estão sempre envolvidos em contar novas piadas. Corre não porque está com pressa, mas para mostrar alegria. Fica p...com você, porque você reclama do trânsito lento, ou  porque você resmunga das contas para pagar. Quer ficar mais tempo nas festas, afinal todo mundo é velho menos ele. 
O que ele não entende é que você não está mais velho que ele, somente mais maduro na alegria, não precisa mais pular, rir alto para demonstrar que está feliz, e um cobertor e um computador ligado, já servem para realizar essa proeza. 
Parece que o  "novo feliz", adquire instantaneamente cérebro de criança.
O "novo feliz" está cheio de novos amigos felizes. 
Juntos ficam organizando passeios, esbanjam alegrias, sorrisos, fórum de piadas, palestras de como "viver a vida mais feliz."

Quer saber de uma coisa...fiquei até Feliz em ser o " velho Feliz(s)."
                        
         Fonte base: Crônicas diversas 
 Aos leitores , amigos, amigas, de outros países, desculpem me, pois sei que a tradução literal não atenderá às expectativas de um bom entendimento do contexto e se eu fosse melhor escolher as palavras poderia perder um pouco da  fluidez...

Comentários

  1. oi Felis

    Eu gostei da sua crônica.
    Vivemos um tempo em que tudo tem que ser rápido demais, ninguém repara ninguém (tb nem tempo pra isso se tem).
    As mudanças vem e vc nem tem tempo de se adaptar te pensar, precisa seguir se não fica para trás.
    É nesta correria que vivemos muitas vezes sem tempo de pensar em nós mesmos.
    Que bom que vc pode ter a reflexão de quem é e quem foi.

    tenha uma ótima tarde =)

    ResponderExcluir
  2. Pouco me importa ser rico. Queria apenas ser feliz. Quem é feliz tem tudo na vida e nada para ele é mais importante que a sua felicidade juntamente com todos os demais

    ResponderExcluir
  3. Felis, todo post, será mais ou menos de observação. Gostei muito de ler, de certa maneira solilóquio. Muito em jeito de falar de um fato vivido ao momento, Em prosa, mesclado de prosa poética, achei o post muito feliz, do Felisberto.
    Obrigado pelo teu comentário.
    abaços

    ResponderExcluir
  4. Oi Felis,você me deixou sorrir agora com sua cronica.
    Muito boa.
    Seja Feliz,como um jovem Feliz(s),não um velho.rsrs.
    Adorei.
    Bjs
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  5. Depois disso tudo te´eu cansei rsrs e fico feliz de ser eu tbm.
    Excelente escrito Felis.

    ResponderExcluir
  6. Que boa a crônica do Velho Feliz, aliás de velho você não tem nada!
    POis é assim mesmo que se comportam as criaturas, dependendo do estágio espiritual e econômico em que se encontram. Detestáveis estes que adoram aparecer e nada têm, pois quem tem é discreto não vive por aí se mostrando.
    E felicidade é algo que está estampado na cara da pessoa, ela não precisa ficar rindo o tempo todo, os seres felizes vivem e deixam os outros viverem.
    um beijo grande carioca


    ResponderExcluir
  7. Olá, amigo Felis
    Eu fiquei cansada de ler como se comporta o 'falso feliz'... dá estafa um comportamento assim...
    Fechei a janela agora e to aqui com o computador e a tele ligada pra ficar mais feliz ('vendo' um bom programa,é claro!)...
    Bjs fraternos e quaresmais

    ResponderExcluir
  8. acho q eu tb sou um velho feliz ou melhor um feliz velho ... rs

    ResponderExcluir
  9. Oi Felis, saudades!

    Eu gostei da cronica,Ah Felis muitas vezes essa ânsia de querer mostrar pra todo mundo que é
    O "novo feliz" não passa de uma mentira que alguém tenta mascarar com sua nova posição social.
    Novos amigos que na verdade são amigos do dinheiro, roupas caras, restaurantes, enfim, mas quem não se aceita, e nunca foi feliz pobre, nunca será feliz rico tbm,Minha humilde opinião!


    Bjosss

    ResponderExcluir
  10. Jamais serei uma "nova feliz". Sou velha e por opção também. Amei, Felis.
    Beijos e boa noite,
    Renata

    ResponderExcluir
  11. Muito boa crônica Felis. Mas pobre do rico feliz, será ele tão feliz assim?? Pois a felicidade não se compra, muito menos se ganha, cada um deve procura-la é dentro de sí. Somente isso.
    Beijos meu amigo, até mais.

    ResponderExcluir
  12. Olá Felis, como dizia um atriz em uma novela, cada mergulhos e um flash, coitado desse riquinho emergente. Ficou maravilhosa sua crônica, dá até pra visualizar a cena...rsrs... Vc é ótimo menino em qq estilo se supera. parabéns! Bjs de luz no coração.

    ResponderExcluir
  13. :) Viu, a inspiração veio, ela sempre surge, às vezes se esconde, começa com uma espiada e depois surge. :) Boa noite!!

    ResponderExcluir
  14. Puxa vida, Felis que texto bom kkk
    A felicidade mora dentro de quem abre as portas para ela.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Bom dia amigo! Paz e luz!
    Gostei muito da sua crônica, dei muitas risadas, principalmente do novo rico,
    com dente de ouro, brega demais, kkkkkkkkkkkkk.
    Ele ficou rico, mas continuou pobre no espírito, rsrs.
    O velho feliz soube aproveitar muito mais na sua simplicidade.
    Parabéns amigo, vc é 10, arrasou!

    E o seu irmão melhorou? Espero que sim!

    Bom fds junto a sua família!
    Bjs, sucessos sempre!
    Andréa

    ResponderExcluir
  16. Felisberto , crônica perfeita ! A descrição do " novo rico " é hilária e a no " novo feliz " , muito sagaz . O melhor , que ao final da noite tenha sido presenteado com livro de Clarice , como também , que a inspiração.tenha chegado para alegria de seus seguidores . Obrigada . Beijos .

    ResponderExcluir
  17. Gostei, Felis! Bela crônica.
    O curioso é que a inspiração aparece de momentos tão inesperados....
    Acho mesmo que qdo as pessoas tentam ser o que não são, acabam sendo "demais". Novo rico, novo feliz... equilíbrio é fundamental.

    Abração e lindo final de semana.

    ResponderExcluir
  18. Adorei o humor da crônica. Sinal que você está num bom momento-rsrs.
    Odeio telefone, mas, infelizmente, é um aparelho imprescindível. Na maioria das vezes ele toca em momentos inoportunos, Pior é que se a gente não atende acaba ficando de 'cabeça quente', pensando que poderia ter sido alguém da família precisando de alguma coisa e lá vai você olhar a bina para dar o retorno, se for o caso.
    Outra coisa que irrita são perguntas de respostas óbvias. Tolerância zero!
    Os 'novos ricos', ou emergentes, chegam a dar pena. A necessidade de se mostrarem é tanta que acabam caindo no ridículo. Ricos mesmo, materialmente falando, não gostam de ostentar, pois conhecem os perigos da ostentação. Conheço pessoas ricas que vivem numa simplicidade que eu até entendo exagerada. Moderação é uma boa medida de equilíbrio.
    Quanto ao "novo feliz", nunca tive oportunidade de me deparar com um, mas deve ser até engraçado, pois felicidade é algo que irradia naturalmente de uma pessoa. Acredito que esse tipo de pessoa não entende nada de felicidade e acaba passando uma imagem que soa falsa. Na vida, ninguém sorri o tempo todo, não se consegue manter um estado de felicidade ininterrupto. Com certeza, deve ser uma companhia dispensável.
    De tudo, valeu pelo presente que, além de bom, lhe trouxe a desejada inspiração.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Gostaria de ser uma nova feliz.
    Muito!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  20. UN TEXTO MUY CREATIVO. GRACIAS POR COMPARTIR.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  21. Bom dia meu poeta lindo, amanheci rindo com seu texto
    ma so que importa não é ser rico(sim ) rico tbém ajuda, o importante é ser feliz, velho ou novo
    preciso e quero ser feliz sempre.....bjusss meu querido amigo de um sábado FELIZ

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  22. Adorei! E o jantar lhe rendeu uma ótima observação e uma grande inspiração. Estamos vivendo em uma época onde demonstrar tristeza ficou fora de moda. Todos querem exibir sorrisos, mostrar felicidade. Voltei ao antigo ditado: "quem nunca comeu melado, com melado se lambuza". Grande beijo!

    ResponderExcluir
  23. Muito boa a sua crônica, Felis. Boa e bem humorada. Muitas vezes criamos regras para conseguir algo e depois percebemos que não existe fórmula. Isso vale pra felicidade tb. abçssss

    ResponderExcluir

Postar um comentário