E nada mais

Novamente esse desgosto
Uma vontade louca de fugir
Sinto as lágrimas em meu rosto
...pouco ânimo para sorrir.

Dizia meu coração
Que tudo não passava de mera ilusão
Quisera que eu soubesse disso
Antes de ver seu sorriso
Quando tudo terminou
... e sem piedade me deixou.

Vou libertar meu coração
Sair dessa desilusão agora
Mandar essa tristeza embora
...me entregar a uma nova paixão.

Vou sorrir...
...ser feliz
e nada mais! 



Faz muito tempo que não escrevo nada inédito. 
 Tenho um jeito de escrever que se inspira  nas situações  cotidianas , mas de modo que delas vou me  afastando,   pois são  momentos que não foram/são   vividos por mim, e em meio a tudo isso,  a invenção  de    sentires imaginados precisa de um mínimo de...- de...+ de...e faz tempo que não tenho. 

 Resolvi voltar às origens e encontrei essa  Poesia acima...
...trabalhava em um Banco , na seção de Contabilidade e estudava à noite.
  Cheguei à Faculdade, atrasado como sempre e a matéria era  Contabilidade Bancária.
  Como passei  o dia inteiro  trabalhando e usando na prática o que o professor explicava na teoria, fiquei sem ânimo nenhum , cada piscada era uma cochilada e nada da aula terminar. 
Como não podia  fugir dali e até  para disfarçar um pouco,   comecei à  escrever  essa Poesia.
Depois da aula, mostrei para alguns amigos e esses me disseram :
- Como "Poeta",  você vai ser um bom Contador...
Muito tempo  já se passou  e  é curioso como certas experiências são decisivas. 
Embora já tivesse predileção,  nasceu ali uma verdadeira paixão pelos números...mais do que pelas letras!
Vídeo: Vish véi, virei Blogueiro
Duração:3m02s
Fotos pessoais - analógicas
Música: Quando eu crescer - Trem da alegria
Licença padrão do Youtube

Obrigado, 
ℱelisberto Junior

Comentários

  1. A vida tem destas coisas né Felisberto! Do nada descobrimos coisas ... Eu aprecio e muito sua forma de escrever poemas ... sempre simples e dieretos mas, com certeza, líricos.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde querido amigo! Paz e bem!
    Quando alguém passa por uma desilusão amorosa o melhor é liberar o coração,
    partir para um novo amor, uma nova experiência e aproveitar os bons momentos, ser feliz!
    Amigo,
    tu virou blogueiro e eu adorei, pois só assim conhecei vc através desse mundinho virtual.
    Adoro ler suas poesias lindas, apaixonantes e inspiradoras, vc é um ótimo escritor, arrasa sempre!
    Eu sou professora e virei quituteira e blogueira, rsrs.
    Adorei o vídeo, super cute!

    Tenha uma semana recheada de paz, saúde e muitas alegrias!
    Bjs no seu ♥
    Andréa

    ResponderExcluir
  3. E por aí mesmo, amor acabado, é amor esquecido. Bora pra frente.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá, Junior!
    Não se você é bom contador, mas certamente é um excelente poeta!

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  5. Olá Caro Amigo!
    Saudades!
    Incrível Como Me Identifico Com A Sua Personalidade De Poeta!
    Lindo Poema; Como Sempre.
    Beijos, Z

    ResponderExcluir
  6. O importante é se libertar e se entregar ao novo amor.
    Bjs amigo Felis e obrigada pela visita e comentário.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  7. Incrível... eu também de "Ciências Contábeis à Pedagogia e RH"... Preferi as "Letras" que hoje me acompanham... Mais criatividade que experiências vividas... mas, os números necessaríssimos no dia a dia... não há como!
    Abração.

    ResponderExcluir
  8. Amores chegam e vão embora, nos trazem alegrias e depois deixam saudades e/ou tristezas. Posteriormente conhecemos outro amor, com outras histórias, com outras alegrias, com outras desilusões...E por aí vai...Isso é a vida, meu amigo.
    Um beijo grande no seu coração. Boa terça feira e até!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Felis, que texto tocante. Mais um. E ao lê-lo vc deve se lembra de tudo o que viveu na época, tanto que se lembra bem do que seus amigos falaram. Abraços e boa semana.

    ResponderExcluir
  10. Amigo você é um ótimo poeta sim ! Descrever tão suave cada frase assim, é realmente um dom divino, parabens Felisberto

    ResponderExcluir
  11. É... algumas coisas que escrevemos ficam perdidas em cadernos e gavetas por anos!
    Há algum tempo achei um velho caderno cheio de contos, e um CD cheio de outros contos que escrevi na adolescência e nunca ninguém leu. Por isso abri o blog Histórias. Lá eles estão mais disponíveis pra quem quiser ler.
    Abraços, Felisberto.

    ResponderExcluir
  12. O importante é ser feliz. Também ando numa fase sem ineditismos.
    Adorei teus versos. És Poeta sim.
    Beijo*

    ResponderExcluir
  13. Que bebê fofuxo e gorduchinho-rsrsrs
    E que elegância engravatado, hein?
    Adorei o fundo musical do vídeo, pois adorava o 'Trem da alegria'.

    O que observei inicialmente na poesia foi o capricho com as rimas. Seus amigos estavam enganados quando duvidaram de sua capacidade poética. Estranho é ser apaixonado por números, que é algo bastante frio, e ser um poeta sensível e romântico.

    Adorei a poesia e seus respectivos versos. É comum ignorar-se os alertas do coração, o que fatalmente conduz a decepções. Mas tudo vale pelo tempo que dura, né não?

    Belo dia e feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Meu poeta lindo
    Td muito bem escrito gostei dos versos
    a a musica combinou bem com as imagens nossa
    ficou nota mil...adoro vir aqui e sair feliz escreva td que
    seu coração pedir ...adorei

    Bjuss de boa terça feira

    _____¸.•*¨✿✿Rita!!

    ResponderExcluir
  15. Foi buscar no pasado a poesia de amor que lhe fez amar mais, ainda, os números.
    Um abraço, Élys.

    ResponderExcluir
  16. Felisberto, a vida tem cada coisa! Na verdade, tudo constitui a nossa história de vida, é essa que sempre nos moldará, rumo ao futuro. Depois o poema é bonito, apesar de pensar que quem se dedica a números a números, terá sempre mais dificuldade em escrever poesia, No caso não,
    Gostei e sempre obrigado pela passagem no meu espaço.
    Fica um abraço

    ResponderExcluir
  17. Olá Felis,
    O fato de fazer uma republicação da poesia pra mim foi ótimo, pois tenho a oportunidade de ler já que fiquei afastado da blogosfera algum tempo!

    Bela poesia! Adorei!

    Abraços Flavio RIbeiro

    ResponderExcluir
  18. Oi Felis, muito boa noite poeta!!
    Eu li o seu lindo poema várias vezes!! Adorei amigo!
    Achei-o vibrante!!
    Puxa, ele daria uma música maravilhosa!
    Você percebeu como os versos se destacam e tem até o refrão?
    Lindo, lindo, amei!!!
    Não quer transformá-lo em canção não? Creio que vale a pena, será um sucesso arrebatador!!!

    Mas o que eu gostei mesmo, foi em ler as letras mais miúdas narrando um pouquinho da sua vida.. seus tempos na faculdade! Você sabia muito bem aproveitar as aulas e deu um jeitinho para que tornar tudo mais ameno: escrevendo poemas claro!! :)))
    Mas o que eu gostei mais ainda, foi ver o seu vídeo, com um bebê fofíssimo, que dá uma vontade enorme de apertar as bochechas...rsrs Que gracinha!!! E você cresceu!
    Incrível ver sua imagens de terno, todo alinhadinho! Quanta elegância hem?
    Gostei demais da letra da canção Felis!! Divertidíssima!!!
    E no final virou blogueiro, ohhh não....rsrs

    Obrigada por este post tão criativo!!!
    Me senti muito bem aqui!!
    Uma semana maravilhosa amigo!!
    Beijos!! :)))))

    ResponderExcluir
  19. Olá Felis! Não se preocupe, essas fases de "branco" acontecem com todos...a inspiração nem sempre vem, muitas vezes é preciso malhar em ferro frio e ir escrevendo até que ela resolva dar uma espiada novamente, rs...
    Mas a sua prosa não fica devendo nada à poesia, pela sua espontaneidade, sinceridade e autenticidade, compartilhando seus sentimentos cotidianos, que não precisam ser sempre requintadamente poéticos. É muito bom ler o desabafo de outro ser humano, tão cheio de preocupações, lutas e sonhos como nós...
    Um abraço!

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  20. Coração ocupado com amor não correspondido ou amor esquecido não dá espaço para um novo.

    Vou libertar meu coração
    Sair dessa desilusão agora
    Mandar essa tristeza embora
    ...me entregar a uma nova paixão. É BEM ISTO!!

    PS: Tão belo quanto a poesia é a imagem. Qual a origem?

    Abraços

    ResponderExcluir
  21. ESOS ADIOSES ME ENTRISTECEN...!
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  22. Gostei do poema, gostei da explicação para a criação do poema, e gostei da tua sinceridade acima de tudo.

    "Vou sorrir...
    ...ser feliz
    e nada mais!"
    Esta determinação depois da desilusão demonstrada nos versos anteriores, mostra bem que tu és uma pessoa que olha para a frente, que busca no passado apenas os elementos que servirão como trampolim para um incentivo maior.

    "nasceu ali uma verdadeira paixão pelos números...mais do que pelas letras!"
    Ouso parafrasear a tua afirmação, dizendo: nasceu ali o sonho de um poeta que, tempos depois iria encantar amigos e leitores com poemas delicados, sinceros, profundos... Tão verdadeiros quanto a paixão demonstrada pelos números!
    Amigo querido, ficam sorrisos e estrelas para enfeitar o teu caminhar.
    Com carinho,
    Helena
    (http://helena.blogs.sapo.pt)

    ResponderExcluir
  23. OI MEU QUERIDO AMIGO
    Muito interessante sua história de vida.Temos que parti para outro amor. Amei a postagem. Um bj.
    Ana

    ResponderExcluir

  24. I wish you and yours a beautiful weekend !
    Nicki xxx

    ResponderExcluir
  25. Os números são mais fiéis e não cometem erros, os romances são por vezes enganosos, mas és muito jovem, romances sempre virão. Um abraço!

    ResponderExcluir
  26. Inspirações contábeis....Você como contador é um ótimo poeta :D :D
    E outras inspirações vc tem de sobra...elas nunca irão embora de vc.
    Abçs e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  27. Vish véi, saudades docê, só tenho a dizer que...entre o Contador,e, o poeta, eu prefiro o poeta sempre, pois os poetas conseguem mexer com a nossa alma, uma mistura de sentimento inexplicáveis, te adoro como poeta.

    Te admiro muiito, muito muito!

    ResponderExcluir
  28. Olá, Felissss, como vai?
    Puxa, achei interessante a história que conta o contexto da criação do poema. Talvez você seja um apaixonado por números, mas a sensibilidade mora em ti ainda que tenha sido motivo de chacota, ahaha.
    Já te falei que não consgio dissociar a escrita do sentimento, eu preciso sentir ou viver algo para escrever sobre. Pensando assim acho perfeitamente compreensível que esteja lhe faltando um mínimo de... e de... hahaha. Eu estou achando ótimo conhecer suas releitura e mais ainda, a história sobre elas.
    Às vezes penso em reeditar algum escrito, tenho mais de 400 publicados, mas quando releio algo que já foi parece que aquilo está no lugar onde tem que estar, acho que eu ando em frente numa velociade muito rápida e me transformo o tempo todo...
    Abraços, ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  29. Felix-Poeta dos números, então! Assim vou te chamar :)
    Interessante o poema e tua narrativa. Pois é, a vida parece que nos conduz a um tipo de acerto, uma espécie de sequencia de sinais que vão nos sendo oferecidos e que, se nos dermos conta, optamos por caminhos decisivos e mais importantes.
    Muito bom! Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Felisberto , vir ao seu espaço é sempre uma alegria . Um contador -poeta é difícil conhecer . Parabéns ! Pela escrita , pela sensibilidade e pela generosidade da partilha . Beijos

    ResponderExcluir
  31. Olá! Obrigada por partilhar momentos pessoais. O vídeo ficou giro.
    O poema é lindo e o texto engraçado. Pois, nem sempre os poetas se dedicam às Letras. E porque não números?
    Um ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  32. Poetizado da poetização; belo e simples como o dia a dia que no final torna seculos.
    Parabéns pela escrita!
    abraço.

    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Olá, Felisberto
    Amei a sua poesia. Belíssima. Narra o cotidiano, de milhões de amores.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  34. Olá Felisberto! Não conheço teu trabalho com os números, a contabilidade, mas aplaudo o Poeta! Linda poesia! Busque no passado a alegria de escrever no presente! Um abraço, feliz semana...

    ResponderExcluir
  35. o oficio do poeta, do escritor, é muito árduo e solitário... acho que vc expressou istobemnos eu texto! abs

    ResponderExcluir

Postar um comentário