A realidade , uma ficção Parte 4


A moça ficou desconcertada com a minha resposta, mas prosseguiu :
- Estava brincando contigo.

 Eu te vi correndo atrás do ladrão.
Sinto muito mesmo. Só um verdadeiro anjo para te ajudar!
Resolvi falar contigo, porque estava lendo uma postagem em um Blog, O pai solteiro de Bianca , e assim que terminei , não acreditei quando te vi.
Você é o Junior do Be Happy, não?

Não preciso dizer que me senti constrangido e envergonhado pelo mico e ademais , ao vivo e em cores , nada estava em sintonia com o perfil virtual.
Meu rosto estava suado e sem Photoshop, os lábios ressecados, a barba por fazer, o cabelo mais liso , comprido e 
desgrenhado , os dois primeiros botões da camisa estavam abertos , as mangas dobradas até o cotovelo , usava meu tênis velho e surrado e estava de óculos escuros, com uma lata de cerveja nas mãos - mas não tinha dado nenhum gole, porque não bebo!

  Mesmo  com  diferenças não sutis,  ela ainda conseguiu me reconhecer e, para não entrar em algo que  irá  consumir um longo espaço , vamos ter que supor que não há  uma simples explicação e que só ela mesma para dizer! Afinal essa  história é contada  em primeira-pessoa , então só posso contar aquilo que sei.
- Sim, sou o Junior do Be Happy. Puxa , que coincidência, nem dá para acreditar nisso.
E você é?

-Eu sou a X . Eu conheci o seu Blog através de uma amiga, a Y do Blog W.
Ela mora aqui pertinho, mas foi viajar com marido e filho para o interior de São Paulo.
Eu estou indo para Carrancas!

Uma outra grande coincidência!
Ela também estava indo para Carrancas.



(continua ...)








Obrigado,

ℱelisberto N. Junior

Comentários

  1. Oi Feliz,mas essa história está muito emocionante!
    Vamos para o próximo capítulo.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  2. Então ela não era um anjo de verdade, mas quem sabe?!...Ela o reconheceu...
    Continuo lendo!!!
    Bjins Felisberto

    ResponderExcluir
  3. Olá, Felis!

    Que esteja tudo bem e em paz com você!

    Bem, ainda uma escritora portuguesa diz, aliás escreveu um livro com o título: Não Há Coincidências", mas aqui, elas se fazem sentir, de forma bastante significativa.

    Sigo "viagem" no seu conto.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Uai Felis!!!
    Sua descrição estava demais...rsrs
    Mas como estava com uma lata de cerveja na mão se nem bebe? KKKKKK
    Estou rindo litros....KKKKK
    Mas uma coisa te digo: está bem charmoso na própria descrição!!
    E seria impossível não te reconhecer!!!
    Afinal tem fãs espalhadas por todos os cantos...
    Me aguarde na parte 5 tá?
    Té mais!! :)))))

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Felis, a desvantagem de encontrar um amigo ou leitor virtual casualmente é frustrar suas expectativas com relação a nós, né não? Os perfis costumam ser cuidadosamente escolhidos ou trabalhados para exibirem uma bela figura-rsrs
    E a lata de cerveja na mão, se não bebe? (rsrs).
    Pelo menos, o autor terá companhia para Carrancas, o que, sem dúvida, será ótimo para aliviar o stress resultante dos inesperados e aborrecidos acontecimentos.

    Vejamos o próximo capítulo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Hummm... reconhecê-lo mesmo em um estado "precário", kkkk, olha que vale a pena conhecer a moça! Sempre quando estou com minha camiseta respingada e o cabelo melecado de tinta para cabelo castanho escuro penso que se alguém gostar de mim daquele jeito gostará de qualquer forma, kkkk!

    ResponderExcluir
  7. Felis, pensei que tinha pulado essa parte, mas não pulei não. =) abçs

    ResponderExcluir

Postar um comentário