Doce de goiaba

Na minha infância, tinha como vizinha, uma menininha moreninha e bonitinha.
Por ser muito tímido, eu ficava observando de longe aquela garotinha .
Tinha uns cabelos longos e negros.
Olhos esverdeados e amendoados.
Quando sorria, aparecia uma covinha no queixo.
Quando ela percebia meus olhares furtivos, ficava ruborizada.
Era uma gracinha.

Certo dia, para pedir um favor para a sua mãe , ela entrou em nossa casa no momento em que minha mãe servia a mim e a meus irmãos um doce de goiaba.
Minha mãe foi muito carinhosa e estendeu à menininha o doce.
No primeiro momento foi uma estranheza só. 
Ficamos, eu e meus irmãos, observando a cena  e o doce esquecido. 
Por muito tempo isso se repetiu.

Hoje, entendi o gesto de minha mãe.
 O mundo cada vez mais precisa de pessoas que se importa com os outros  e que se dispõe a ser amável e carinhosa apenas pelo prazer de ver o outro feliz. 
Onde podíamos melhor estender as mãos é quando afastamos, presos no arcabouço do egoísmo e individualismo.

 E quis o destino, por aquele gesto , minha mãe me fez aproximar, namorar e casar com aquela menininha.

Passado todo este tempo, aquela menininha continua com a mesma beleza.
Seus olhos brilham quando me vê. 
Sua covinha no queixo fica mais saliente quando sorri para mim.
E seus cabelos longos e negros parecem de uma deusa. 
E ainda aprendeu a fazer aquele doce de goiaba, que a minha saudosa mãe também fazia.

O doce  está delicioso, como sempre. Você quer experimentá-lo?
*
repaginada,ficção, "qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência "ou não...


Obrigado,
ℱelisberto N. Junior

Comentários

  1. Sim, eu vou aceitar esse carinho em forma de doce.
    Tantas asperezas, só para falar de nós brasileiros neste atual cenário onde gestos de gentileza, carinho, preocupar-se em fazer o outro feliz parece estão esquecidos.
    Que a menininha nunca perca o encanto ao sorrir e você nunca deixe de apreciar esse doce sorriso!
    Ah... uma delícia o doce; fala pra ela!

    ResponderExcluir
  2. Oi Felis claro que quero,inda mais que sei quem fez, hahaha, vc é d+, com uma história aparentemente simples,contada carinhosamente,vc me fez refletir o quanto estamos ficando distantes da amabilidade e gentileza para com os outros. Nem preciso dizer que adorei mais uma de sua preciosidade, fã é fã, beijinho e xauzinho

    ResponderExcluir
  3. Que lindo! Ficção ou não, adorei!! Valeu o doce também! abraços,chica

    ResponderExcluir
  4. Por um momento pensei que não fosse ficção, de tão lindo que é, de tanto que parece um relato autobiográfico. Parabéns! Fico belo!
    Beijo*

    ResponderExcluir
  5. Mera coincidência ou não, eu tive e tenho um amor assim, meu "menininho", eu a "menininha" dos lindos olhos dele, os dele eram e são amendoados, meu amado marido é filho de japonês com espanhola, imagine só, meus filhos tiveram uma mistura que nem imaginas, eu neta de imigrantes italianos e portugueses, enfim, amei ler aqui, que amor de amor!
    Abraços amigo Felisberto!

    ResponderExcluir
  6. Felis, muito boa noite!
    Que coisa linda, eu precisava vir aqui na segunda para poder curtir um mimo tão doce e precioso assim...
    Eu falo da doçura do gesto de sua mãe ,que de maneira generosa, compartilhou o tão saboroso doce com a linda menininha de olhos amendoados...
    Gesto lindo, de partilhar r amor e de se doar por inteira...
    Esse gesto floresceu, deu frutos e se transformou no seu amor, em sua companhia!
    Puxa, adoro demais quando você fica assim tão romântico e suave amigo...
    As palavras se espalham e deixam coraçõezinhos soltos no ar!!

    Amei de montão e desejo uma semana maravilhosa para ti e sua família querido amigo!
    Grato por tudo, pela presença sempre tão querida e pelos desejos que deixou no meu aniversário, bem em cima do horário! Adorei!!!

    Encantadora semana! :)))))) Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  7. Como o mundo atual anda carente destas singelezas. Os tempos são outros realmente e, sem querer ser nostálgico, os tempos idos eram bem assim. Que pena não ser mais assim.

    Beijão

    ResponderExcluir
  8. Que leitura agradável, Felisberto! Uma belezura de narrativa, onde se nota sensibilidade, aprendizado, carinho, mãos estendidas... Esses gestos delicados, que tanto bem proporcionam, costumam ser esquecidos. Se oferecidos com mais frequência, se multiplicariam, eis que tendemos a agir da maneira como somos tratados. Gostei demais!! Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Que bonita história! Sendo ficção ou não. Adorei a postagem adocicada em todos os aspectos, Felis. Abçs e boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Adoro doce.
    Hoje em dia se você é educado e gentil as pessoas ficam com medo (ainda mais em se tratando de comida né?).


    bjokas =)

    ResponderExcluir
  11. Deliciei-me com a lembrança do doce de goiaba, da goiabeira do meu quintal... E também dos meus amores infantis!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Que doce lembrança, em ambos os sentidos figurativo e real. Seja ficção ou não percebo em sua narrativa uma escrita com verdade e devaneios quem sabe se um lugar bom para viajarmos em pensamentos. Belo poema!

    Abraços e uma boa tarde!

    (Aguardo sua visita, pois retornei com meu blog de poemas :D )

    ResponderExcluir
  13. Hummmm... queria tanto provar um pouquinho deste doce. Adoro goiaba e tudo o que é produzido com o seu sabor.
    Aprendemos muito com os bons exemplos, principalmente aqueles que provém de atitudes de nossos pais. São estes que moldam o nosso caráter. Daí ser tão importante uma boa formação familiar. No mundo atual, a correira nos distrai de gestos ternos, afetuosos, solidários e elegantes. Estamos sempre pensando nos compromissos e tendemos a não exercitar esta prática. Sem dúvida, o mundo seria muito melhor se deixássemos o egoísmo de lado e focássemos um pouco mais nas urgências do próximo.
    Dizem que não há coincidências. Tudo que é para ser acaba acontecendo. Assim, nem vou dizer que teria sido ironia do destino a aproximação com esta garotinha, que teria redundado num compromisso maior. Lindo mesmo é a descrição amorosa e plena de admiração desta garotinha, que não perdeu seu brilho através do tempo. Coisas do amor.

    Deliciosa prosa, kirido!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Claro que quero!!
    Gentileza é tudo de bom!!
    Adoça a vida!
    Essa história nos faz,viajar...
    Mas, aí percebemos que é ficção!! rs
    Amei! Excelente semana, Feliz! BJ no 💗

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Felisberto.
    Pelo belo relato , a sua amada mãe era doce, como o doce de goiaba que ela fazia com tanto amor, que lhe deu um grande amor, bela historia de amor, que Deus abençoei cada vez mais essa linda união. Dias felizes para vocês. Enorme abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário