O volume do texto

Nesta minha pausa, entre uma medalha olímpica e outra, tive a satisfação de ler as mensagens que recebi através do meu formulário de contato.
Esta forma de interação é muito interessante, porque os tons neutros da informalidade, propiciam que tudo brote de maneira objetiva, fácil e agradável. 
E me chamou atenção o fato que havia um senso comum de que 
quanto maior o volume do texto apresentado, menor o interesse dos leitores. 

Bem, partindo de uma experiência pessoal, creio que nem se trata do tamanho, e sim, o tipo de texto, em razão da linguagem, da não identificação, dentre outros motivos. 
E, claro para mim, que em um cenário em que valores como mobilidade e instantaneidade ocupem boa parte das vidas, é natural e inevitável que gerem manifestações e ações para a valorização e a difusão do poder de síntese - em poucas palavras o que queremos expressar, aproveitando as ideias essenciais, dispensando-se tudo o que for secundário. 
Porém, talvez pela quantidade de atividades simultâneas e ou fatores limitantes e ou outros interesses e ou somente atentos ao volume do texto apresentado, podemos acabar deixando de ler o que poderia nos trazer algo de grande valor . 

Por outro lado, não precisamos ficar preocupados demais com o volume do texto, pois, corremos o risco de não conseguir transmitir o que queremos, ocasionando certa dificuldade de entendimento . Não se pode   confundir ser monossilábico: "escrever pouco ou quase nem escrever" com sintetizar :"escrever em poucas palavras" ; um monossilábico sintetizando, como entender um resumo do que (quase) nem sequer foi escrito? 
E mais , no caso de poucas palavras, quando contém uma opinião/análise /avaliação. 
Afinal, depois de tudo,  somente quem vai efetuar a leitura , é que irá trazer seu próprio entendimento para dentro do que foi escrito , independentemente do tamanho do texto apresentado.

Enfim, uma mão-cheia de reflexões: até podemos não saber o que fazer, pois há ainda muita coisa que nós não sabemos, não apenas com as palavras por si, mas com a forma em que elas - as palavras - se juntam harmonicamente, entretanto - com pleno conhecimento de que em qualquer relação emissor/receptor- autor/leitor, é necessário o discernimento , o bom senso e o respeito mútuo - sempre devemos procurar saber o que não fazer; apesar que o melhor mesmo é permanecer aberto a todas as possibilidades, conciso ou palavroso, 
e privilegiar o conteúdo de qualidade acima de tudo.

• 
Obrigado,

Comentários

  1. Pois, é como tudo, a qualidade antes do tamanho...
    Quanto a mim, escrevo pouco, mas compreendo que quem tiver o dom da palavra escrita se alongue nas suas reflexões, nas suas narrativas.
    No que diz respeito ao interesse de ler, tudo depende se a temática atrai ou não determinada pessoa, é tudo tão subjetivo.
    Meu caro Felis, votos de uma excelente semana.
    Um abraço grande.

    ResponderExcluir
  2. Oi, querido amigo, texto ótimo, dá pano pra manga! Penso eu que hoje, com o advento da Internet e mesmo em livros, o pessoal prima por textos menores, sejam em poesia, crônica, contos ou romances. Lembro que um dia, há anos, peguei um livro de 950 páginas, tamanho grande. Li numa boa, estava na Serra, com todo o tempo do mundo. Aqui já não daria. Sempre primo por limpar um texto, isso é, ser objetiva, clara e não usar muitos adjetivos - o que não precisa. No meu tempo de escola, o bonitinho era levar uma página inteira descrevendo o perfil do personagem. Hoje, não é de bom dom.
    Você disse tudo, quanto maior o texto, menos leitores. Se é assim, algo está errado, é preciso corrigir. Há muito que romances modernos estão curtos, há a necessidade de síntese, sim.
    Um beijo, Felis!

    ResponderExcluir
  3. Bom diaaa
    Eu procuro postar tanto aqui como no insta, textos menores pq tb acho que o povo não lê.
    Uma ótima semana !!


    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. São os tempos meu caro. Antigamente Dostoiévski escrevia romances enormes e nos perdíamos em suas letra com desmedida voracidade. Hoje, tudo tem que ser rápido, instantâneo. Esta necessidade de alguma forma, nos torna um tanto quanto preguiçosos.

    Beijão Felisberto e boa semana ...

    ResponderExcluir
  5. Olá meu bom amigo Felisberto, muito oportuno este teu post, me trás um questionamento, eu que me acho verborrágico (exagero nos comentários), principalmente com medo de não ser claro, gostaria de ter um poder melhor de síntese, mas acho que acaba ficando nos meus posts, gosto de escrever textos pequenos e relevantes, claro. Influencia do Caio Abreu, mas escrevo textos longos, quando pedem, que eu acho que pedem. Nesta era de internet, textinhos monossilábicos, curto não curto, acomodou muito as pessoas, que já não tem um hábito de leitura, como algo normal desde a infância ou nas escolas, diferente quando nos deparamos com blogueiros europeus, no meu caso portugueses a maioria rs...aqui no Brasil, mal nos ensinam o português nas escolas, temos exceções, tive ótimos professores, mesmo no ensino público. Eu sinto também que as pessoas preferem um texto menor, tempo ? preguiça ? não sei, mas este post traz uma profunda reflexão...os teus posts são ótimos...entre uma medalha, uma grita a outra não ouve, ainda acho muito pouca medalha para um pais continental e que diz que investiu neste últimos tempos, enfim, sempre muito bom falar contigo. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  6. Achei interessante seu post amigo Felisberto! Geralmente as pessoas parecem mesmo não gosta de ler grande publicações. Eu não me importo com o tamanho e sim com o conteúdo que ela nos oferece. Assim como o seu artigo hoje que diz bem oque muitas vezes queremos dizer publicamente.

    Achei o máximo Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Felisberto, bom dia! Eu penso que textos menores, mas que focalize com exatidão e clareza o que se deseja, é bem mais eficaz! Eu mesma, prefiro ler textos pequenos, pois o meu tempo, assim como os demais, creio, é bem pouco! Em muitos casos, quando vejo aqueles escritos imensos, desisto de lê-los...rssss! Pois podemos escrever com menos palavras, mais com objetividade, sem perder o foco, facilitando para os nossos leitores. Bom início de semana, meu amigo! Que a paz esteja com vc.

    ResponderExcluir
  8. É fato: estamos em tempos de textos curtos, emojis para dizer as palavras que não queremos ou não sabemos mais escrever; frases estão na moda, há vários livros assim e vários perfis no instagram só neste estilo.
    Para mim os blogs são lugares de textos longos. Para o conciso temos facebook, instagram, twitter, snap, whatsaap e tantos outros que nem faço ideia do que sejam.
    Claro que com esse meu pensamento consegui manter poucos leitores em meu blog!
    Há quem esteja aberto e fez mudanças inclusive nos blogs. Eu escrevo de acordo com minha vontade, textos maiores, outros não, mas por ora, eu não quero me moldar ao que a maioria deseja. Chego mesmo a pensar se os blogs não terão um futuro como o orkut...

    Já participei de blogagens coletivas onde deveríamos nos expressar em 140 caracteres. é algo interessante enquanto exercício de escrita, capacidade de comunicação, de síntese, mas não quero que esse seja meu estilo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Felizberto,
    Concordo com o que você escreveu e costumo escrever a seguinte dedicatória quando autografo meus livros:


    "A arte de escrever consiste apenas em arranjar as palavras para lhes dar algum sentido. A verdadeira virtude está na arte de ler, pois só o leitor apreenderá o significado último do texto ao interpretar o que existe por trás ou em torno do escrito."

    ResponderExcluir
  10. Felisberto eu também concordo com você.
    Quanto maior o texto,menor é a leitura.
    Poucos leem até o final o que escrevemos,mas isso não impõe a mim que não escreva o quanto acho que devo escrever.
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  11. Que bom que estás de volta, estamos em uma segunda-feira de ressaca, pelo jogos olímpicos que acabaram e literalmente falando pela ressaca do mar!
    Amigo, amo escrever e ler, para mim o tamanho do texto não me assusta, já li aqui até aos comentários!
    Mas concordo com você, eu mesma escrevo poemas e textos não muito longos e não economizo também nos comentários, quando o faço é por respeito ao proprietário do blog que tem muitos outros para ler!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  12. Postagem maravilhosa mais amo o que você escreve,
    obrigada pela visita, tenha uma semana abençoada.
    Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  13. Olá Kirido!

    Bem vindo de volta!
    Ia lhe mandar um e-mail ontem, mas preferi esperar o encerramento total das olimíadas para não incomodá-lo.
    Percebo que textos longos não agradam a muitos leitores, principalmente aqueles que dispõem de termo menor para interagirem nos blogs. Textos longos costumam provocar a diminuição de comentários, pois ao abrir a postagem e ver o tamanho do texto, o leitor acaba saindo de fininho e silenciosamente. Claro que textos menores e concisos facilitam a leitura e o entendimento, assim como o comentário sobre ele. Para mim, no entanto, não faz diferença quando o texto é envolvente e interessante. Mas quando nada diz e é maçante, fico entendiada. Lembro-me de que, no exercício da advocacia, escrevia páginas e páginas, numa tentativa ardente de convencer os Juízes da veracidade das minhas teses. Certa feita, ao receber um processo de minhas mãos, o Diretor da Secretaria do Juíso me disse: "Não sei porque vocês escrevem tanto, pois o Juiz não lê". Como não??? Claro que lê, mas de uma maneira mais dinâmica. Concordo que textos bem colocados e focados no essencial, sem muita floriação, favorecem o entendimento e a rápida conclusão.
    Enfim, no meu caso, ou seja, no caso do meu blog, coloco os textos do tamanho que desejar; às vezes editados para não cansarem o leitor. Procuro manter uma média de tamanho. No mais, lê quem gosta e se interessa pela leitura, já que ninguém está obrigado. Certo é que para interações mais rápidas há outro tipo de rede social. Os blogs devem primar pela qualidade.

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Olá, Felisberto.
    Sabe, não me preocupo com o tamanho do texto: vou lendo. Alguns textos longos, de tão legais e interessantes, tornam-se curtos. Outros, bem curtos, de tão vazios, podem ser longos...
    Abraços e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Olá Felisberto. Eu não me preocupo com o tamanho, leio tudo, até acho que escrevo muito , não sei reduzir, mas as palavras vão vagando, e fazendo caminhos, bom ler sempre sem se preocupar com o tamanho do texto. Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Dizem que tamanho não é documento, não é mesmo? Devemos priorizar a qualidade e não a quantidade... Há assuntos mais densos, outros mais leves... Depende de vários fatores do momento em que se escreve ou se lê...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Olá, Felis, e aí? Qual seu balanço final das Olimpíadas? rsrsrs
    Ótimo texto, mais uma vez. Por vezes me vejo engessada pela questão do escrever/não escrever um texto longo, mas acho que colocou muito bem aqui: a questão é, será que o longo palavreado não se faz necessário para explicar determinado ponto de vista?
    Meu último texto é um exemplo: é longo, mas se o leitor prestar atenção, tudo está ligado: confiança, garra, superação, ousadia, recomeço, perseverança, alegria (os últimos seis ligados à que? À confiança! rsrsrs).
    Porém, nem sempre o leitor traz em suas ferramentas a possibilidade de leitura que esperamos, o que é bom, pois estar aberto pode nos trazer pontos de vista e conhecimento surpreendentes!
    Aprendi em algum lugar, rsrsrs, que é preciso "repousar" o texto antes de publicá-lo, com tempo para revisões e adequações - cortar, trocar, reescrever, eliminar,acrescentar palavras, de forma a passar a mensagem que desejamos da maneira mais sucinta e adequada para compreensão e agradável leitura. Tem funcionado comigo, embora eu já não esteja mais me prendendo tanto ao tamanho, e sim ao objetivo da leitura.
    Gosto muito quando escreve suas crônicas mostrando seus pontos de vista!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Isso faz sentido sim, Felis. No meu caso, às vezes tem muitas estreias pra escrever e algumas acabam passando despercebidas e tendo menos leitores. É curioso mesmo. Boa postagem. abçsss

    ResponderExcluir
  19. Oi Felis,bom retorno ,você disse tudo, quando o texto tem conteúdo,não importa o tamanho e creio que o principio de tudo é o respeito. Se acharmos que o texto é longo, que não finja que leu e bola pra frente!Amo o que escreve,tudo bem colocado e explicado.Beijinhos, xauzinho.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Felisberto.
    Só agora que soube que tinha retornado a blogosfera. Acho que o que importa é escrever o que se deseja, sem se importar se por ser grande vai ser lido ou não. Ate porque eu ao ler as postagens não me importo que seja grande ou pequeno, mas sim o conteúdo. Uma feliz noite. Abraços.

    ResponderExcluir

Postar um comentário