No todo, o tudo do nada

Quando se faz o silêncio, que grita alto e sufocante, começo a ouvir a noite suspirando, a chuva gemendo com o vento. 
Há alturas até em que o desespero teima em mim,  se agarra ao sangue e corre por dentro das veias  e depois perco-o porque ele solta-se de mim,  deixa-me tão só com um torpor permanente que vai aos poucos transformando-se em tédio.

É a vida que não surpreende,   o tempo que não passa  ,  o sentimento pulsando. 
No todo, o tudo do nada.
 É a falta que tudo machuca.

Sabe moça...talvez seja isto que falte.
 De  colo, de abraço e de beijo.
E uma xícara de café quente , por favor...

...[e se não for pedir demais,  qualquer coisa que me fizesse morar em alguma parte tua...]

[ repaginada...qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência"...ou não!]
Obrigado,

Comentários

  1. Emana destes seus versos muitos sentimentos dos quais somos dependentes... e o cafezinho quentinho que ajuda a aquecer claro (no meu caso um chazinho é sempre bem vindo).
    Um belo fim de semana para o Felis.

    ResponderExcluir
  2. Oi my idolo Felis ameiii lindo triste triste lindo,seu estilo começa triste mas sempre com uma feliz alternativa, não sou muito boa para fazer café, o restante hahahaha Feliz final de semana Felis beijinho xauzinho

    ResponderExcluir
  3. Para mim, além do café faltou o cigarro para estas horas ...

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Gosto dessa tua intensidade, Felis. Muito bom, ter ler.

    Agradeço o carinho de tua visita, obrigada por lembrar do meu cantinho!...

    Beijo

    Nanda

    ResponderExcluir
  5. Encontra-se sempre um vazio fértil no amor! Então, aninha-se...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo, Felisberto. Verso forte, sensível, romântico e caliente. Gostoso estar no seu cantinho. Tenha um ótimo sábado e um domingo de grandes alegrias. Beijos, meu amigo.

    ResponderExcluir
  7. E ai morando perto do ser amado a gente é mais feliz, mesmo quando mesmo distante a gente vive com a pessoa dentro do peito. Lindos versos

    ResponderExcluir
  8. Muito lindo! Com grande sentimento.
    Uma xicara de café quentinho vai sempre bem.
    Um feliz domingo

    ResponderExcluir
  9. É moço...
    E quem não gosta de um colo, um abraço
    e um beijo...nem precisa do café.
    Bom domingo.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. É... a falta machuca muito mesmo... e mais ainda quando tem nome.

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  11. Olá kirido,

    Gostei da composição poética inicial: "Quando se faz o silêncio, que grita alto e sufocante, começo a ouvir a noite suspirando, a chuva gemendo com o vento."
    Este torpor que se transforma em tédio tem tudo a ver com a 'falta', seja em sentido físico ou espiritual. Mas quando diz respeito a uma ausência específica, machuca mesmo. E como faz falta um colo, o calor de um abraço e a doçura de um beijo. Já a xícara de café quente, esta eu nunca dispenso, porque está ao meu alcance-rsrs.

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Vc domina bem as palavras, Felis. Mais uma ótima postagem. O tempo que não passa e a vida que não surpreende... Pois então... Abçs e boa semana.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Felis, como vai?
    Nossa, que lindo! Embora triste, né... me fez pensar que em momentos de tristeza não se sabe o que é pior, a sensação de desespero, ou a sensação de vazio. Quando em torpor temos a sensação de que o tempo se arrasta sem sabor.
    O café é um companheiro acolhedor para momentos difíceis, eu adoro, ganhei esse ano uma máquina de café do amor e só de olhar a espuminha caindo e a fumacinha subindo parece que o relaxamento já toma conta, rsrsrs.
    Percebi que trocou a foto do perfil, rsrsrs, a minha é a mesma desde a abertura do blog!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Felis, venho aqui em um dia atípico e muito triste e vejo que até seu poema combinou com este dia cinzento em que tantos sofrem neste momento...

    Você, em poucos versos, conseguiu delinear toda a dimensão dos acontecimentos, destacando de forma brilhante a ausência e o silêncio, que tanto machucam... :(
    A sensação de vazio, com certeza, é o que mais dói; uma dor sem limites, insuportável, que muitas vezes não conseguimos segurar e explode pelos olhos, em forma de lágrimas...
    Mas ainda bem que o cheirinho de café que se espalhou no ar ao final, deixou uma esperança de que depois de um dia triste, algo surpreendente pode acontecer e aquecer o coração da gente...
    Mais uma composição para entrar para a história de suas belas e fortes obras!

    Um super beijo amigo!!
    Tenha uma semana de muita paz!

    ResponderExcluir
  15. Esse texto foi de com força!! Parabéns pela escrita!
    Ótima semana pra vc!
    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Às vezes é tudo que precisamos...
    Belas palavras, gostei!

    Abraços e feliz dia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário