#forçaChape

Perdi meus pais, perdi meu irmão recentemente e tinha a impressão de que muito cedo e com a mesma intensidade não iria passar por esses momentos - intensos- novamente. 

Porém , nesse jogo da vida não tem regras nem juiz.
De simples pode ter tudo. 
Ou nada

E não há nada que superem a tristeza, a dor e o sentimento de perda ; esses nós da vida.
E assim, irremediavelmente presos a um misto de sentimentos a embaralhar,  devemos despedir dos sonhos por algum tempo.

Mas há algo além que estes sentimentos  deixam em nós.
 Que o melhor do depois é a consciência de que nós fomos capazes de passar por cima disso, talvez com o mesmo sonho, talvez com uma outra dor, mas sempre com a aura de vencedor. 

Obrigado,

Comentários

  1. Oi, Junior, assisti tudo, pelo canal 40. Foi sofrido. É muita dor, misto de emoção com pena, com indignação. Mas houve algo de maravilhoso que também fez parte das emoções: foi a Bolívia, o carinho do povo bolivianos e a gratidão do nosso povo brasileiro. Isso também emocionou um monte. Sempre sentirei algo especial pela Bolívia, pois a gratidão é um sentimento quase extinto, raro encontrar. Depois de ver o nosso Congresso, aquele crime na calada da noite...ver emoções tão fortes foi maravilhoso. E as perdas nem se fala, foi algo descomunal, terrível. Que presente dos céus se o povo brasileiro fosse sempre assim...
    beijo, amigo!

    ResponderExcluir
  2. Há tantas versões para um mesmo ensinamento; aquele ensinamento que diz que "tudo passa". Mas há um tempo para que chegue esse tudo passa. E é um tempo de sofrimento e dor. Vivemos a dor da perda tão brusca desses meninos jogadores. Pensamos em suas famílias, em seus sonhos interrompidos. Remexemos mesmo sem querer em nossas próprias dores.
    Sabemos que a morte é inerente à vida. É inevitável não chorar.
    Beijo Feliz.

    ResponderExcluir
  3. Oi Felis, que lindooo amei,confesso que chorei mais uma vez e é verdade o que vc escreveu,depois de tanta dor, tanta tristeza , mas também depois de tanto carinho, tanto amor, um dia é como vc gosta de dizer a vida segue e veremos que vencemos e que temos que continuar em busca de nossos sonhos.
    Feliz final de semana Felis beijinho my idolo xauzinho

    ResponderExcluir
  4. Também fiquei muito emocionada com essa tragédia, que podia ter sido evitada (é o que me revolta mais). Mas como o Felis diz, temos que continuar com uma "aura de vencedor" para continuar a nossa caminhada ao longo desta vida. Não é fácil, mas é o que os que partiram gostariam de ver em nós.
    Um excelente domingo.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito emocionada e triste com a tragédia que abalou esse maravilhoso país. Chorei....pela perda de tantos jovens, penso na dor daquelas familias.
    Claro que a vida continua e a caminhada é longa para vencer os nossos sonhos.
    Desejo uma excelente semana de paz e amor
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Boa noite, amigo Felis!
    Uma triteza mortal que apertou nossos corações nesta semana de uma forma ímpar...
    Que Deus os tenha!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  7. A dor da perda faz parte da vida, mas é difícil, muitooo até hoje sinto a perda da minha tia segunda mãe...Enfim, Deus nos dá forças, amigo!
    Boa semana e abraços felizes :)

    ResponderExcluir
  8. É sempre muito triste perder alguém, não é, Felisberto? E essas perdas fazem com que a gente se lembre das nossas...
    Ontem eu e meu marido olhávamos a chuva que caiu por aqui, e lembrávamos da minha mãe, meu sobrinho, o pai dele... meu pai. Tanta gente. E pra onde foram todos?

    ResponderExcluir
  9. Olá kirido,

    Qualquer perda, notadamente dos entes queridos e próximos, ainda que de pessoas mais idosas, são dolorosas. Mas a morte repentina, como a ocorrida com a Chapecoense e com o seu irmão, por exemplo, além de muitas outras pessoas, são dramáticas e chocantes, pois leva pessoas jovens, saudáveis e cheias de sonhos. Sabemos que para tudo há uma razão, embora esta razão fuja ao nosso entendimento; contudo, alerta-nos para a finitude da vida, lembrando-nos que o que acontece com um pode acontecer a todos. Por isso, devemos procurar levar a vida de maneira mais leve e mais feliz, buscando sempre deixar marcas de amor nos corações das pessoas que caminham ao nosso lado na jornada da vida. Hoje estamos aqui, mas quem garante que estaremos amanhã. Aqueles jovens da Chapecoense estavam, talvez, no melhor momento de suas vidas. Vendo-os no avião, na maior alegria e curtição, ficou difícil assimilar que haviam embarcado no voo derradeiro. Os que sobreviveram, sejam com sequelas ou não, lembrarão um dia, sim, que foram fortes o suficiente para superar tamanha perda. Todos saímos fortalecidos dos processos de dor. A escola da vida costuma ser bem enérgica, mas o resultado final será uma aprovação com mérito.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Que tragédia, né, Felis. Nossa, que ano tenebroso foi esse! Quanta tristeza e dor... Muito triste. Abçs e boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Felis, a perda sempre é dolorosa. Cada vez que uma tragédia assim acontece lembramos da nossa fragilidade e das perdas com as quais lidamos/teremos que lidar durante a vida. Haja força para seguir e manter a capacidade de sonhar! Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Boa noite Felisberto.
    Ficamos por aqui muito triste com essa tragedia, e pelo sofrimento de todos os familiares e torcedores. A mãe do jogador que foi sobrevivente e veio a falecer no hospital foi o que mais me abalou, foi ver aquela mãe abraçando e consolando, mesmo na profunda dor. Vela da pior dor existente que é perder o filho cheio de sonhos, abracando aos jornalista foi demais para mim choramos, pois ou ela ainda está em choque o é um ser humano muito evoluido para consolar diante dessa triste acontecimento. Também fiquei emocionada pela fé do outro sobrevivente o Neto que na ultima entrevista agradecia a Deus pela cura da lesão e por está indo jogar. A vida tem dessas coisas. E dos outros que infelismente faleceu acho que deixou em todos nós uma perda. Pois nós solidamos com as dores dos familiares, que Deus conforte a todos, e cure os sobreviventes. Abraços.

    ResponderExcluir

Postar um comentário