Minha vida não foi só poesia, parte 8

[parte 7Nestas alturas,  o terceiro golpe de infelicidade, quando constatei que não tinha tantos amigos como imaginava !

A maioria das vezes, damos aos outros sem esperar nada em troca, sem sequer pensar que com gestos de bondade e amizade, um dia teremos retorno…damos e pronto. Mas também sei que é muito difícil não criar expectativas, é difícil não esperar que aquela pessoa para quem temos sempre uma palavra amiga, esteja lá quando for a nossa vez de precisar de alguém ao nosso lado. E o problema é quando essa pessoa não está realmente lá, quando nos falha, simplesmente porque nem sabe o que se passa conosco, porque não nos procura, porque não quer saber, porque está a viver a sua vida...exceto Amanda, Bianca, meus 'miaumigos' Bigode e Gorducho e alguns familiares, de amigos simplesmente fiquei sozinho!

 Não podemos mudar as pessoas, as coisas que acontecem ao nosso redor, pois não temos controle sobre isto, mas nós podemos mudar o modo como olhamos.
Na necessidade , não  enxergamos a realidade como ela é, não captamos o que se esconde por trás das aparências e sequer desconfiamos de que podemos estar diante de uma comiseração travestida de  ajuda.  

Não guardo mágoa, nem rancor ou ressentimento  dessas pessoas, pois  'mais que perda de tempo é perda de vida',  mas se  errei, aprendi e  cresci;  me tornei mais resiliente; tudo serviu para descobrir e aprimorar minha sensibilidade e percepção, por isso,detesto quando , ao sabor de interesses,tentam subestimá-las; mudei as prioridades, as escolhas, os conceitos  e também a forma como interagir com as pessoas.

Continuo navegando na mansidão da paz, justiça e simplicidade, ensinamentos pétreos de meus pais,  mas estou mais fiel às minhas convicções,  frutos de vivências intensas e concretas; fiquei mais seletivo; aprendi a valorizar a qualidade em detrimento da quantidade;  de quem não tem nenhuma proximidade, não faço questão de realizar a expectativa a meu respeito ;  um monólogo enviesado e dissimulado não  transformo mais em  diálogo ; jamais irei cumprir um papel social e agir de uma forma somente para agradar os outros.

Mas sempre todo o meu amor, amizade,  gratidão, carinho e respeito aos verdadeiros...
[continua ... parte final...]


Obrigado,

Comentários

  1. Nada mais a dizer depois disto:

    "estou mais fiel às minhas convicções, frutos de vivências intensas e concretas; fiquei mais seletivo; aprendi a valorizar a qualidade em detrimento da quantidade; de quem não tem nenhuma proximidade, não faço questão de realizar a expectativa a meu respeito ; um monólogo enviesado e dissimulado não transformo mais em diálogo ; jamais irei cumprir um papel social e agir de uma forma somente para agradar os outros.

    Mas sempre todo o meu amor, amizade, gratidão, carinho e respeito aos verdadeiros."

    Também sigo estes preceitos ...

    Beijão querido ...

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Felisberto.
    Como eu lhe entendo e entendo as suas decepções, passei muitas vezes por isso, estava sempre presente nas dificuldades de muitas pessoas, mas quando precisei de um ombro amigo, me encontrei apenas eu e a minha filha, uma ajudando a outra, e depois disso apreendi a selecionar e reconhecer os meus verdadeiros amigos. Mas tudo na vida é um aprendizado, e apreendermos há reconhecer quem realmente são os nossos verdadeiros amigos e ate quem são os nossos familiares, que realmente se importo conosco. Que bom que conseguir passar adiante sem amargura, e continuar sendo essa pessoa tão bacana. Uma linda semana. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  3. Olá kirido,

    Conforme acabei de dizer na postagem anterior, somente conhecemos os verdadeiros amigos nos momentos difíceis e, a esta altura, eles cabem nos dedos das mãos.
    Criar expectativas é um caminho para a decepção, embora sempre falhamos neste particular. Melhor dar sem esperar a reciprocidade, que pode chegar ou não. E quando chega, é lucro.
    Todas as nossas vivências são fontes de ensinamentos. O mérito é assimilar o que veio para acrescentar em nossa experiência de vida.

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Parte final? Como assim? rsrsrs
    Amigos... mais uma vez sua fala me fez lembrar algumas passagens da vida do amor.
    Bom, eu sempre fui um pouco reservada, mas daqueles que sou amiga, sou de verdade, para todas as horas em que precisam de mim, e o faço porque gosto, me sinto útil sendo uma boa amiga, me acrescenta... mas como disse, é impossível não conservar uma ponta de esperança de que se precisarmos, alguém estará lá, ou se falharmos, teremos compreensão.
    Dia deses comentei isso com a filha... sofri pequena decepção com uma amiga, faz parte, pois o gostar gosta do todo no outro, até dos defeitos, mas também precisamos receber um pouco, afinal somos humanos.
    "Mas o tempo mostra onde e para quem devemos doar nossa energia, prioridade e melhores sentimentos, sempre com o cuidado de não nos fecharmos demais correndo o risco de cometer injustiças com quem não merece devido à incapacidade de voltar a confiar nas pessoas.
    Continuo navegando na mansidão da paz, justiça e simplicidade, ensinamentos pétreos de meus pais, mas estou mais fiel às minhas convicções, frutos de vivências intensas e concretas; fiquei mais seletivo; aprendi a valorizar a qualidade em detrimento da quantidade; de quem não tem nenhuma proximidade, não faço questão de realizar a expectativa a meu respeito ; um monólogo enviesado e dissimulado não transformo mais em diálogo ; jamais irei cumprir um papel social e agir de uma forma somente para agradar os outros."
    Fechei contigo nisso! Quem amo tem todos os meus meios para agradar, já quem não está fazendo parte disso, terá o meu melhor naquilo que o "contrato social" determina, somente. Tenho lido muito sobre isso... no que / em quem estamos aplicando nossa energia? Isso é importante para que não percamos boa parte da vida em vão.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Pois os verdadeiros amigos veem-se nos momentos difíceis.
    Um belo dia para si.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu tb reflito de vez em quando porque não tem muitos amigos, mas os poucos que tenho valem mt.

    ResponderExcluir

Postar um comentário