Canto de olho

Fico olhando de canto de olho, desconfiado que não há argumentos convincentes para explicar o meu medo e toda a minha maneira de colocar barreiras; nada disposto a me comprometer, nem disposto a perder.
Acho até que deveria apenas seguir os passos do meu pragmatismo, que só cresceu comigo enquanto mantive distância do amor ...
aquele em que as pernas tremem, as mãos suam, as palavras não saem .

De alguma forma, eu sabia que este momento chegaria.
Armazenado na minha mente já estava.
Somente que tudo parecia ser simples quando acontecia dentro de minha imaginação.

É necessário determinada convicção para que algo mantenha a sua trajetória e é terrível quando descobrimos que não estamos preparados...
as pernas tremem, as mãos suam, as palavras não saem .

°
[ qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência"...ou não!]
°
Obrigado,

Comentários

  1. Sempre complicada esta luta da emoção com a razão. Cada vez mais me fortaleço no racional.

    Beijão e bom feriado.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Estou de regresso das férias.
    Bonito texto, Felis, com muita sensibilidade.
    Um abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário