Tudo anda tão confuso

Tudo anda tão confuso.
Que sinto que estou a me dividir aos poucos.
O raciocínio desconexo para articular a razão e a emoção corretamente.
Os sonhos adormecidos, ressabiados.
As ilusões trancafiadas num baú, escondido em lugar incerto e não sabido.

É a vida me tirando aquilo que julgava definitivo.
Que já não sei muitas coisas, já não sei nada do que sabia.

Contudo, a história está sendo escrita.
Ou pelo menos uma versão mal escrita.


E se me encontrar por ai , ali ou acolá.
Por favor, me devolva !
Me recriei tantas vezes.
Sempre no intuito de querer  agradar.
Que fiquei atordoado com tantas versões ...
... e somente bastava ser a melhor versão de mim mesmo.

°
[ qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência"...ou não!] 
°
Obrigado,

Comentários

  1. Acho que a vida nos tira tudo que achamos ser definitivo, só para nos lembrar de que nada é...

    ResponderExcluir
  2. Esta sensação de confusão dentro de nós mesmos sempre nos permeia.
    Faz parte!
    Beijão e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Felisberto, que lindo, amigo! Você, eu, todos numa confusão só. Triste poema, mas por outro lado, encontrei beleza, talvez seja a verdade dita meio sofrida...e tão sincera.
    Beijo, amigo, um bom domingo, sem muita tristeza!

    ResponderExcluir
  4. Acontece mesmo! Há fases na vida que não sabemos o que pensar, o que somos...
    Belo texto!
    Bom domingo.

    ResponderExcluir
  5. Existem momentos assim, e muitas vezes um período alongado, dependendo da extensão do vazio que se instalou nós. Sentimo-nos estranhos dentro de nós mesmos, e a vontade é de ficar apenas sentados, quietinhos, deixando a vida acontecer ao nosso redor, expectadores de olhos quase cerrados a ver todo o enredo que supomos não ser nossa criação, mas sim escrito para nós. E aos poucos vamos nos perdendo dentro de nós... Distanciados por circunstâncias avessas às nossas pretensões. E quase sem perceber nos levantamos do nosso pseudo conforto e vamos caminhando passo a passo, vagarosamente... Observando tudo, quase sem perceber, e nos deparamos frente a uma vitrine de cores alegres numa loja que antes não existia, uma rua sem calçamento que se mostra agora pavimentada. Um jardim antes mal cuidado, agora colorido em belas flores. Um parque antes fechado, agora aberto ao barulho, alegria e diversão das crianças. E quando percebemos, estamos a sentir algo se mover dentro de nós... E de repente, ali está novamente o nosso olhar, o nosso gesto, a nossa visão, e a descoberta de que estamos inteiros novamente, intactos em nossa essência, já na lida de desadormecer os sonhos, destrancar as ilusões, e a tomar as rédeas da nossa própria história. Porque ao final, somos a nossa história e somos também as versões de nós mesmos. Quem sabe neste reencontro tenhamos trazido na bagagem os elementos para enfim escrever a nossa melhor versão...? Porque acredito que sejamos história, versão, o que nos limita, o que está dentro de nós, e integrantes deste Universo que nos cerca e nos domina. E do universo que habita em nós, o qual dominamos...
    Feliz, meu querido, gostei tanto do teu poema que viajei nele. E bem sabes que estas viagens só podem ser empreendidas quando nos identificamos com aquilo que foi escrito dentro da alma do Poeta... O teu versejar cada vez mais iluminado!
    Sorrisos e estrelas, sempre, no teu caminhar!
    Um beijo no meu carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  6. Olá Kirido,
    Achei o texto bastante melancólico, embora bem elaborado.
    Há momentos na vida em que nos sentimos assim, numa tremenda confusão mental e/ou emocional. Parece que nos perdemos, seja pelo caminho, seja de nós mesmos. O bom é que o resultado final será sempre o reencontro, seja com nós próprios, seja com novos caminhos.
    E tenha certeza de que não compensa recriar-se apenas no intuito de agradar. O melhor mesmo é ser sempre do jeito que somos, com defeitos e qualidades, mas autênticos.

    Tenha uma semana feliz!

    PS: Posso demorar, mas reafirmo que não me esqueço de você. Por motivos diversos, estou lenta com as redes sociais. No face estou pausada, e no blog apenas retribuindo visitas. De vez em quando, estou no instagram.
    Repense sua decisão de cessar as interações, a menos que você não pretenda mais voltar a blogar como antes. Dizem que quem não é visto não é lembrado. Você acabará perdendo muitos contatos, já que não atua em outras redes sociais. Infelizmente, é assim que acontece.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,Kilida,boa noite...tudo certo? Deus te abençoe!
      sim, é verdade, não pretendo + blogar como antes. Passei, intensamente , com muito prazer, responsabilidade e carinho, por todas as fases de um blogueiro.
      Como 'comentarista', creio que fiz a minha parte e em geral, passei pelo anonimato, pelo desconhecimento , pelo conhecimento , alguns reconhecimentos ,merecimentos,desmerecimentos, alguns aborrecimentos e agora, com esta minha decisão, devido as ondas instantâneas que animam nosso sistema virtual , sei que irei passar pela fase de esquecimento.
      Muito justo , porque a diferença entre o Não esquecimento e o esquecimento , neste meio blogosférico, é a atividade .
      Logo, sem atividade de interação e logo, sem ser visto, o esquecimento .
      Assim é , será e faz parte!
      Claro que sinto/sentirei por muitos e claro que os belos sentimentos permanecerão para sempre ...no mais , que alguns me esqueçam e que seja 'rapidim'...XÁ PRALÁ!
      Continua a leitura dos que 'entram mudo, efetuam a leitura e saem calados' ; existem ainda' -não sei até quando-poucos/alguns/muitos- comentários sensíveis,inteligentes e pertinentes -tais como os 'seus' ; e considero natural a queda na visita 'in-loco' e nos comentários recebidos e aumento no 'parar de seguir/circular', portanto, nada de surpreendente.
      Continuarei escrevendo ,talvez igual como era antes de abrir o blog, e isto foi por mais de duas décadas - para mim e depois, para um/a ou outro/a, que, de uma maneira ou outra, se identificam com meus textos , ou seja, os amigos, colegas, leitores, além do virtual.
      Tudo faz parte!
      Enfim, foi uma decisão/escolha muito consciente , plena de convicção e muito tranquila... desejo sempre todo o sucesso para ti, na vida pessoal,profissional e virtual.
      Meu respeito, carinho,admiração, amizade,gratidão eterna,t+ belos dias,beijos!

      Excluir
  7. Boa tarde Felisberto.
    Que poema lindo, não o achei triste, mas realista. A vida é um eterno recomeçar, e ser nós mesmo é o caminho da felicidade. Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário