Momento fulcral

Naquele momento fulcral,
Sem outra escolha, permiti tua partida.
Te ofereci um beijo.
Tu aceitaste o beijo mas partiu pela manhã.

Em frente à janela , 
 num último reflexo, fitei o contorno de sua imagem. 

Não pude conter as lágrimas.
Todo triste e abatido,
Perdi o rumo, voei sem direção .

No entanto, sofri o revés dessas emoções , refreado pela rédea do pensamento lógico:
Se a decisão foi partir, é porque não mereço mais a sua presença.

Ademais, ninguém morre de amor . 

 Uma nuvem negra pairando em nossa cabeça não é prenúncio de nada, 
   Se a tempestade ainda não está aqui.
Basta seguir entre quedas e dores, sentindo o aroma da esperança, 
que bons ventos fortes irão levar as nuvens para bem longe ! 

E a luz irá irromper onde nenhum sol brilhava.

E se um dia chegar a sentir minha falta, lembre-se que neste dia não apareci. 

 Sua presença também não terá mais  nenhum  significado para mim.
°
[ repaginada, qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência"...ou não!] 
°

Obrigado,

Comentários

Descer Página
  1. As separações custam sempre.
    Lindo poema.
    Feliz semana!!

    ResponderExcluir
  2. Partir ou deixar partir: o que é mais difícil?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Subir Página